top of page

FIM DO ANO DEVE GERAR 470 MIL VAGAS TEMPORÁRIAS NO PAÍS


A Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) prevê a criação de cerca de 470 mil vagas temporárias de outubro a dezembro deste ano. A estimativa representa um aumento de 5% em relação ao mesmo período do ano passado. E é a esperança do mercado após um pequeno recuo nos números no terceiro trimestre de 2023.

"Acreditamos que, se o cenário for favorável, as indústrias podem acelerar suas contratações para atender a alta demanda de consumo do período, devido às datas sazonais como Dia das Crianças, Black Friday e Natal", afirma o presidente da Associação, Marcos de Abreu.

Segundo ele, a estimativa é cautelosa, pois as contratações dependem de um cenário positivo da economia para acontecerem: estabilidade do dólar, que pode ajudar as indústrias que produzem para exportação; o aumento da importação chinesa; bem como a diminuição dos juros. Se tudo for conforme esperado, as vagas devem ser abertas principalmente pelos setores da Indústria (55%), Serviços (30%) e Comércio (15%).

"Em outubro, a Indústria deve puxar as contratações temporárias, já que estão atrasadas com suas produções e precisam atender a demanda acelerada de consumo para o final de ano. Já em novembro, destacamos o setor de Serviços, principalmente nas empresas de e-commerce e do setor de logística, pela mudança no hábito de compra do brasileiro, por meio das compras on-line e a Black Friday. Já em dezembro quem impulsionará a geração das vagas temporárias será o setor do Comércio, nos pontos físicos, devido ao Natal", explica Abreu.

No 3º trimestre, houve um recuo de 3,34% em relação ao mesmo período de 2022, ao gerar 608.800 vagas temporárias nos meses de julho, agosto e setembro. Segundo o presidente da Asserttem, o período de férias em julho não provocou o aumento de vagas esperado. Com o recuo do dólar, por exemplo, e o impacto nas exportações brasileiras, as indústrias contrataram menos. Além disso, a China — maior importadora de produtos brasileiros — reduziu muito as importações, o que tem impactado o mercado como um todo.


Chance de efetivação cresce


A vaga inicial é temporária, mas a oportunidade pode abrir caminhos para um trabalho mais longo. De acordo com a associação, há uma alta na taxa de efetivação média dos temporários, que passou de 20% para 22% neste último trimestre do ano.

"Vivemos uma realidade de falta de mão de obra qualificada. Assim, quando a empresa encontra este profissional, ela o efetiva. E, consequentemente, verificamos um aumento da empregabilidade ao invés da contratação de temporários", conclui Abreu.


(Fonte: Extra/ Foto: Pexels)


Comments


bottom of page