top of page

EMPRESAS CREDORAS JÁ PODEM SE HABILITAR NO DESENROLA BRASIL


Já está aberta a etapa de habilitação de empresas que têm dívidas a receber e estão interessadas em fazer parte do Programa Desenrola Brasil.

A partir de agora, o serviço da Plataforma está disponível para que empresas como bancos, varejistas, companhias de água e saneamento, distribuidoras de eletricidade possam aderir ao programa e, na sequência, identificar suas dívidas e atualizar os seus valores. Os credores têm até o dia 9 de setembro para se habilitar no Desenrola Brasil.

Para isso, é preciso entrar no site https://credor.negociedigital.com.br, usando o eCNPJ com certificado digital. Para confirmar a inscrição no programa, os credores devem realizar seu cadastro no Portal e assinar digitalmente o Termo de Adesão através do eCPF do representante legal cadastrado na Receita Federal. A seguir, será possível consultar e baixar o Manual do Credor, que descreve em detalhe os passos necessários de cada fase e disponibiliza orientações técnicas importantes. Para a conclusão do processo de habilitação, os credores deverão atualizar as dívidas e fornecer demais informações necessárias. Depois disso, acontecerá o processo competitivo sob a forma de leilão de maior desconto, que delimitará as dívidas que farão jus à garantia de cobertura de risco pelo Fundo de Garantia de Operações - FGO. O prazo para que os credores ofereçam os descontos no processo competitivo será informado através do Portal Credor e no site gov.br/desenrola.

O Desenrola Brasil, que tem por objetivo aproximar credores e devedores para a renegociação de dívidas bancárias e não bancárias, vai entrar na segunda fase, que beneficiará pessoas que ganham até dois salários mínimos ou que estejam inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico) e que tenham dívidas cujos valores de negativação não ultrapassem o valor de R$ 5 mil.

Todas as empresas que têm dívidas a receber e realizam negativações poderão acessar o Portal Credor.


(Fonte: Informações da Agência Brasil)

(Foto: Reprodução de tela)



Commentaires


bottom of page